quarta-feira, 26 de agosto de 2009

As amarras do nacionalismo e do progesso.























"Progresso : a teoria de que você pode receber alguma coisa a troca de nada, a teoria de que você pode ganhar num terreno sem pagar pelo seu ganho num outro; a teoria de que só você compreende a significação da Historia; a teoria de que você sabe o que vai acontecer daqui a cinqüenta anos; a teoria que você pode prever todas as conseqüências das suas ações presentes, a teoria de que a utopia se encontra um passo a frente e, desde que os fins ideais justificam os mais abomináveis meios, é seu privilegio e seu dever roubar, defraudar, tortura, escravizar e assassinar todos os que, na sua opinião( que é, por definição infalível), obstruem a marcha avante rumo ao paraíso terrestre.
Depois houve o nacionalismo: a teoria de que o Estado do qual por acaso você é súdito é o único deus verdadeiro, e de que todos os outros Estados são deuses falsos; de que todos esses deuses, quer verdadeiros, quer falsos, tem a mentalidade de delinqüentes juvenis; e de que cada conflito por prestigio, poder ou dinheiro é uma cruzada pelo Bom, pelo Verdadeiro e pelo Belo."

E o que há de mais belo que um asno com uma cenoura amarrada a sua frente, fixada na própria cabeça e a um palmo dos olhos, a marchar e destruir todos os possíveis jardins em busca do seu ideal construído, como se a utopia se encontrasse uma pisada a frente? Enquanto isso, nossas mais belas idealizações de liberdade se esvaem em filas imensas de carros em baixo de um céu negro de monóxido de carbono. É a evolução, diriam eles. É o progresso !

Nenhum comentário:

Postar um comentário