quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Meu adeus ao cigarro.

















Após dias sofrendo com a abstinência hoje me sinto bem, no começo até pensei que seria como das outras vezes que ao primeiro sinal de problema acenderia um cigarro.
Ao analisar a situação com frieza percebi que o momento do "nirvana" de fato não resolve problemas, muito pelo contrário, apenas os piora a longo prazo.

O texto abaixo resume bem a prisão do fumante :

"A farmacologia não conhece droga que cause tamanha dependência química.
A nicotina não vicia por causar sensações inacessíveis aos mortais que enfrentam o cotidiano de cara limpa. Inundar o cérebro com ela não faz você experimentar a alegria do álcool, a onipotência da cocaína, o relaxamento da maconha ou as visões do LSD. Não existe barato nem viagem. Você fuma apenas para aplacar as crises de abstinência que a própria droga provoca a cada trinta minutos.

O único prazer de quem fuma é sentir a paz de volta ao corpo suplicante, até que a próxima crise bata à porta para enlouquecê-lo. Parece invenção de Satanás."

Apesar de não acreditar em Satanás, tenho que concordar com a brilhante explanação do Drauzio Varella sobre o assunto.

Atravessei a tormenta, sinto o êxtase da libertação !

2 comentários:

  1. Verdade tudo que vc disse...parabéns por ter vencido o vício e estar liberto!

    abraço!
    www.zecomcafe.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Parabéns amor =]
    Tô muito feliz por você!

    Mil beijos,te amo muuito!

    ResponderExcluir