quarta-feira, 29 de julho de 2009

O cigarro e meu drama pessoal.

















Eu, como a maioria dos fumantes, comecei a fumar de forma meio que acidental; no início nem ao menos sabia tragar e acho que realmente não deveria ter aprendido.
Só quem já fumou compreende a sensação. É como alcançar um "nirvana" durante alguns minutos, principalmente quando há problemas e, de fato, é uma válvula de escape eficaz. O tempo parece parar e possibilidades para a resolução dos mais variados problemas parecem surgir como em um passe de mágica.
Normalmente vivemos pensando apenas no agora, no prazer rápido e instantâneo, e isso pode ser aplicado quando do uso de outras drogas também. Mas, tenho que admitir: o futuro às vezes me assusta e, de forma paradoxal, as vezes paro, acendo um cigarro para pensar nele quando, ao mesmo tempo, apago dele uma parte; como uma fumaça que não volta.

4 comentários:

  1. Tenho certeza de que esse sera o primeiro de muitos bons textos que estão por vir dessa sua mente brilhante. Nem preciso dizer que sou sua fã número 1, não é? TE AMO!

    ResponderExcluir
  2. será* (sim, sou chata com isso :P)

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito dessa historia !

    ResponderExcluir